Outeiro Seco - AQI...

Tempo Outeiro Seco
Segunda-feira, 31 de Maio de 2010

Mais uma espécie a desaparecer

Nota: Amanhã, dia 1 de Junho, não haverá post, devido a estarem a estabelecer uma ligação do meu PC com o serviço na Madeira, como tal fica já hoje este post adicional para compensar a falta. Berto

 

Mais uma vez, para quem conheceu Vale Salgueiro, também conheceu as suas famosas "tartarugas" que ali tinham a sua colónia de férias, se reproduziam e depois hibernavam. Era difícil encontrá-las em outras zonas, tinham ali o seu "habitat" ou nicho e por aquelas bandas se mantinham, onde era frequente vê-las com uma certa facilidade, sendo uma das espécies endémicas de Vale Salgueiro.

 

Embora lhes chamemos "tartarugas", na realidade são cágados e estes são cágados de carapaça estriada (Emys orbicularis). Todos os cágados se distinguem facilmente das tartarugas pelo facto de terem garras.

 

Para conseguir as fotos que vos mostro, é melhor nem dizer quantos dias tive de ir a Vale Salgueiro e correr as abertas e as lagas vezes sem conta para encontrar uma, repito, UMA miserável "tartaruga", onde há escassos anos, encontraria dezenas.

Vou colocar as fotos num "slide", embora só sejam 18.

Ela lá ficou, não sei é se voltarei a vê-la.

 

 

Não é difícil apontar directamente a causa do seu desaparecimento, mas se o disser assim,...., pois já se sabe como é.

 

Então pesquisei na internet e não tardei muito em encontrar a causa mais do que óbvia, sendo desnecessário voltar a repetir quem são os responsáveis.

Apelo mais uma vez à Junta de Freguesia para que faça cumprir a ordem de remoção dos resíduos quer da Mina, quer dos esgotos de Vale Salgueiro.

O ideal até seria manter os responsáveis mergulhados numa laga durante uns tempos (até que eu me lembrasse de os tirar de lá) e dar-lhes uma palhinha para respirar. Assim, saberiam como vivem os cágados e porque "desaparecem".

 

Passo a transcrever alguns dados de uma Instituição, que julgo não gerar dúvidas a ninguém. No final, fica a respectiva ligação ao texto integral.

 

ICN - Instituto de Conservação da Natureza

Plano Sectorial da Rede Natura 2000

fauna, anfíbios e répteis de Janeiro de 2006

 

"Emys orbicularis

Cágado-de-carapaça-estriada

Taxonomia:

Família: Emydidae

Espécie: Emys orbicularis (Linnaeus, 1758)

Código da Espécie: 1220

Estatuto de Conservação:

Global (IUCN 1994): LR/nt (Baixo risco/próximo de ameaça)

 Nacional (Cabral et al. em publ.): EN (Em perigo)

Espanha (Blanco JC & González JL (eds.): VU (Vulnerável )

Protecção Legal:

  • Decreto-Lei nº 140/99, de 24 de Abril, com a redacção que lhe é dada pelo Decreto-Lei nº 49/05, de 24 de Fevereiro, anexos B-II e B-IV, transposição da Directiva Habitats (92/43/CEE), de 21 de Maio de 1992
  • Decreto-Lei nº 316/89, de 22 de Setembro, transposição da Convenção de Berna, Anexo II

Fenologia: Espécie residente, autóctone."

 

 

"A poluição resultante de descargas de efluentes não tratados de origem industrial, urbana ...., é uma ameaça comum a todas as áreas importantes para a conservação do Cágado-de-carapaça-estriada. Cria situações de elevada eutrofização do meio, com a consequente perda da qualidade da água, podendo levar a situações de elevada toxicidade, com maior repercussão nos períodos de estiagem."

 

Acho que nem eu conseguiria melhorar esta explicação...

Será que "descargas de efluentes não tratados de origem industrial" significam esgotos que vêm dos parques empresariais e são lançados nas nascentes e linhas de água sem qualquer tratamento prévio? É bem provável que sim....

 

Vamos lá, ou se gosta mesmo do ambiente que nos rodeia, ou apenas dizemos que gostamos para agradar a quem nos ouve.

O pior é que esta não foi a única espécie a desaparecer em Vale Salgueiro. Tempo ao tempo...e a verdade virá à tona.

 

http://www.icn.pt/psrn2000/caracterizacao_valores_naturais/FAUNA/anfibios_repteis/Emys%20orbicularis.pdf

Publicado por Humberto Ferreira às 19:52

Link do post | Comentar | Ver comentários (5) | Adicionar aos favoritos

Dia mundial sem tabaco 2010

Pois parece que hoje é mais um de esses dias mundiais, internacionais e nacionais, etc....

 

Na minha opinião, enquanto não acabarem com estes "dias", que não provocam mais do que separatismo, nunca resolverão problema nenhum.

 

Em Espanha, para já, ou se pode fumar, ou não, como tal é simples, um fumador que queira estar num espaço de não fumador não poderá fumar, o mesmo acontece se um não fumador quiser estar num espaço de fumadores, pois não deverá importar-se com o fumo dos demais, caso contrário não entra.

 

Em Portugal, foram, como sempre mais evoluídos. No mesmo espaço, concentraram fumadores e não fumadores, teriam de ter uma separação física (não especificando qual exactamente) e uma espécie de "chupa fumos", também não referindo de que tipo e potência. Claro que para não perder a clientela os donos de cafés, restaurantes, etc..., gastaram dinheiro em obras e equipamentos que não resultam. Como é lógico, as pessoas saem a cheirar a tabaco, quer fumem quer não.

 

Eu não percebo como um fumador, que entra num voo de não fumadores e aguenta o tempo que for necessário sem fumar, não é capaz de chegar a um restaurante, mesmo antes de se sentar à mesa já estar com um cigarro aceso? Deve ser dos tais mistérios sem resolver...

 

Fica o meu grão de areia.

 

 

 

Fica também o endereço do Portal da Saúde onde podem tirar dúvidas:

Nota: Existem muitos outros, este é apenas um exemplo.

 

http://www.portaldasaude.pt/NR/exeres/54627EC9-B08B-490D-830C-4AE0B9E67C2F.htm

Publicado por Humberto Ferreira às 13:04

Link do post | Comentar | Ver comentários (13) | Adicionar aos favoritos

Mosaico de máquinas fotográficas antigas - II

Continua mais um mosaico de máquinas fotográficas antigas. No anterior post, julgo que não referi que tenho orientado a colecção em dois sentidos: um dito normal, ou seja, quase tudo o vier à rede é peixe e, o outro, num sentido mais transversal em que dou preferência a máquinas de cor vermelha ou em que o vermelho seja um elemento de destaque.

 

Este mosaico já demonstra melhor essa tendência, bem como, por exemplo uma colecção completa. As cinco Coronet Midget, com as cores preta, castanha, verde, vermelha e a azul, esta última especialmente dificil de conseguir.

Fica então o segundo mosaico.

 

 

Publicado por Humberto Ferreira às 00:16

Link do post | Comentar | Ver comentários (4) | Adicionar aos favoritos
Domingo, 30 de Maio de 2010

São Bernardino

Prometi a uma Anónima que passaria no São Bernardino e, como de costume, tenho o mau hábito de cumprir o que prometo e lá fui.

Receava ser apedrejado, mas recebi as boas vindas de uns cães, cujos donos não se preocuparam em chamar. De qualquer forma se o cão me mordesse, o problema seria dele (entenda-se do cão).

Aproveitei também para tirar umas fotos às cegonhas, que não pertencem ao São Bernardino, mas ajudam a compor o quadro. 

Não me limitei a tirar fotografias apenas à entrada, afinal o Bairro é maior, como tal dei volta a tudo.

Algumas oliveiras parecem estar a precisar de uma "calda". Como poderão ver em algumas fotos apresentam uma espécie de algodão pegajoso, talvez de algum insecto.

Depois, ao dar a volta, não percebi porque não arrancaram também a mimosa e os chorões, uma vez que em termos de sistema radicular (chorões) e de pólen (mimosa) não ficam a dever nada aos plátanos, muito pelo contrário.

O placard colocado pela Junta, que acho que foi um bom trabalho, estando mais espalhados pela aldeia, porque fazem falta, está partido, mas garanto que não fui eu.

Quanto às flores acho que estão muito bem, como em muitos outros jardins nesta época do ano. Em relação às flores, eu dar-lhes-ia duas sugestões, primeiro seria a de variar o tom das roseiras que são praticamente todas de cor rosa, depois, diversificaria mais o tipo de plantas de flor de modo a manter durante um período mais longo esse espaço com mais cor, mas isso também depende dos gostos.

Por fim, não deixei de achar piada ao ver que várias vivendas têm no seu jardim árvores de grande porte que estranhamente não incomodam os moradores, ao contrário dos plátanos que estavam no meio da rua e bem afastados das vivendas. Mas agora, o mal está feito e, nem aquele (plátano) que espera pela sua vez de ser transformado em rachas, no interior do pátio de uma vivenda, tem qualquer hipótese de sobreviver.

Se gostam daquilo que fizeram e ninguém com autoridade para tal os impediu, pois continuem, a minha opinião mantém-se, fizeram mal, aliás muito mal, mas a minha opinião vale aquilo que vale.

 

Ficam dois slides, pois as fotos eram em número superior à capacidade de um só. Espero que pelo menos gostem delas...

 

 

 

 

 

 

Publicado por Humberto Ferreira às 00:18

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Sábado, 29 de Maio de 2010

Um coleccionador onde menos se espera

Ao estar a falar em coleccionismo de máquinas fotográficas, não quero deixar passar a ocasião, sem escrever umas linhas sobre o Herculano Pires, um amigo de longa data, que não ficou indiferente ao tocarmos no assunto.

 

 

Pastor de profissão e, que nos seus poucos tempos livres cuida da sua mini colecção de máquinas antigas.

 

 

E onde podemos encontrar este coleccionar de gado e de imagens? Pois em Segirei, como não poderia deixar de ser.

 

 

Visitem também o Blog da nossa amiga Tânia Oliveira para conhecer as maravilhas que por lá se escondem. Poderão fazê-lo através da ligação disponível na barra lateral ou pelo endereçohttp://segirei.blogs.sapo.pt/. Vale a pena.

Publicado por Humberto Ferreira às 08:38

Link do post | Comentar | Ver comentários (9) | Adicionar aos favoritos

Mosaico de máquinas fotográficas antigas - I

Hoje vamos abordar um novo assunto que estava prometido, mas que ainda não tinha tido oportunidade de publicar.

 

Desta vez não será um tríptico, mas um mosaico com 98 fotografias de máquinas fotográficas que fazem parte da minha colecção, que neste momento deve rondar as 360.

 

Nenhuma das fotografias que apresento neste mosaico é minha, pertencem todas aos respectivos vendedores.

 

Quero referir que nesta colecção conto com algumas dádivas de alguns vendedores, mas também de dois amigos, do nosso conterrâneo Vítor Afonso que me ofereceu duas máquinas e,  do também amigo Sérgio Franco, actual Director de Serviços da ACISAT, que me ofereceu também duas máquinas antigas e uma objectiva adicional. Obrigado aos dois.

 

Inicialmente, apenas publicarei, intercaladamente com outros assuntos, os conjuntos das máquinas e de seguida os outros objectos antigos relacionados com elas que também colecciono, como livros, revistas, utensílios, álbuns, negativos em vidro e em película, fotografias obtidas através de vários processos, etc...

 

Posteriormente, pretendo abordar cada um dos objectos para todos aqueles a quem interessem estes assuntos.

 

Ora aqui fica a primeira parte.

 

 

Publicado por Humberto Ferreira às 00:08

Link do post | Comentar | Ver comentários (6) | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 28 de Maio de 2010

Anedota aplicada à vida real...

Há tempos uma pessoa amiga enviou-me uma anedota, daquelas que nos faz pensar e se aplica à vida real.

 

Pessoas Inteligentes:

Conta-se que numa cidade do interior do Brasil um grupo de pessoas divertiam-se com o "idiota" da aldeia.

Um pobre coitado, de pouca inteligência, vivia de pequenos biscates e esmolas.

Diariamente eles chamavam-lhe "o idiota" no bar onde se reuniam e lhe ofereciam a escolha entre duas moedas: uma grande de 400 REIS e outra menor, de 2.000 REIS.
Ele escolhia sempre a maior e menos valiosa, o que era motivo de risos para todos.

Certo dia, um dos membros do grupo chamou-o e perguntou-lhe se ainda não tinha percebido que a moeda maior valia menos.

'Eu sei' - respondeu o tolo - 'Ela vale cinco vezes menos, mas no dia em que eu escolher a outra, a brincadeira acaba e nunca mais irei ganhar a minha moeda'.

***
Podem tirar-se várias conclusões dessa pequena narrativa.

A primeira:

Quem parece idiota, nem sempre é.
A segunda:

Quem eram os verdadeiros idiotas da história?
A terceira:

Se você for ganancioso, acaba por estragar a sua fonte de rendimento.
A quarta e mais interessante é:

A percepção de que podemos estar bem, mesmo quando os outros não têm uma boa opinião a nosso respeito.

Portanto, o que importa não é o que pensam de nós, mas sim, quem realmente somos.

Moral da História...
' O maior prazer de uma pessoa inteligente é fazer-se de idiota, diante de um idiota que julga ser inteligente'.

Publicado por Humberto Ferreira às 21:11

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Flores de casa e do campo

Nesta época do ano, por todo o lado podemos encontrar cores, odores e formas totalmente distintos.

As de casa são do jardim e da horta de minha mãe, as do campo são de todos nós, por isso, cuidem-nas. Eu já assim tento fazer.

 

 
Publicado por Humberto Ferreira às 00:51

Link do post | Comentar | Ver comentários (4) | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 27 de Maio de 2010

Obrigatoriedade de vacinar e identificar os cães

Uma das actividades anuais para quem tem animais domésticos, neste caso cães, é o da vacinação, sendo a da raiva obrigatória.

As restantes não o são, mas convém administra-las, uma vez que são contagiosas, difíceis de curar (algumas incuráveis) e os custos envolvidos nos tratamentos são elevados.

 

 

Previamente, como é óbvio, os cães têm de ser desparasitados internamente através de comprimidos e, externamente utilizando as coleiras antiparasitárias ou as pipetas.

Embora haja várias clínicas veterinárias que prestem este serviço em Chaves, desde há uns anos a esta parte trabalhamos com a Clínica Veterinária os Bichos, quer por amizade com os proprietários e restante pessoal, quer pelo profissionalismo, com o qual não temos tido problemas, atendem bem os nossos cães e tem a vantagem de fazerem domicílios, o que para nós, tendo seis cães e sendo quatro deles de grande porte, dá muito jeito. Seguem fotos de uma parte do interior da clínica e da ambulância utilizada também para as deslocações aos domicílios.

 

 

Como tal, vou "roubar" alguma informação ao site www.osbichos.pt, quero dizer, que eles permitiram amavelmente transcrever para que tudo fique mais claro. Tudo poderá ser encontrado a partir da página inicial do site que se segue:

 

 

 

Para já agradeço ao Dr. Álvaro, à Dra. Joana, à Dra. Lisete e à Anabela, as informações que me forneceram e os textos e as fotos cedidas. Obrigado.

A cada animal é emitido pela Clínica um Boletim Sanitário, onde são descritas todas as vacinas e desparasitações que são efectuadas, tal como os exemplos que se indicam a seguir, que pertencem a um dos nossos cães.

 

 

 

 

O plano de vacinações completo, que facilmente poderá ser encontrado no site acima referido, também me foi cedido pela Clínica Veterinária os Bichos e que aqui reproduzo por achar que o mesmo se encontra bastante completo.

 

 

De seguida, estando na posse do Boletim Sanitário do animal deverá com o mesmo dirigir-se à Junta de Freguesia no sentido de ser emitida a respectiva Licença. Segue um exemplo da Licença nº 7/2010, correspondente à Luna.

 

 

 

No caso de alguém possuir um cão mais agressivo ou de alguma das raças consideradas perigosas, o melhor será também contratar um seguro para eventuais danos que o cão possa causar.

O mesmo também é aconselhável se pretender ser produtor de uma determinada raça e for o proprietário da fêmea, uma vez que há sempre a tendência dos potenciais clientes quererem tocar nos cachorros e as mães não costumam gostar que os estranhos se aproximem e ainda menos que toquem nos seus filhos.

Neste último caso, sendo proprietário da fêmea, também aconselharia a obtenção de um afixo junto do Clube Português de Canicultura. É uma espécie de "apelido" dos cachorros, mas que só herdam da sua progenitora. O meu afixo é "Casa dos Alferes", independentemente das raças que eu pretenda criar.

 

Outro dos assuntos que ganhou importância, com algumas agressões de cães que surgiram nos meios de comunicação social, foi o da identificação dos mesmos, porque o que acontecia muitas vezes, era que o cão não pertencia a ninguém.

O Decreto-Lei nº 313/2003, veio de certo modo regulamentar algumas dessas situações, mas no meu entender, o custo da identificação, que deveria ser gratuito como em outras espécies animais, ainda faz com que muitos proprietários "fujam" a esta obrigação.

Por outro lado e, isto também na minha opinião, o cão (tal como outros animais domésticos) é o reflexo do seu dono, pelo que quem deveria ser identificado, não seria o cão, mas sim os donos, esses sim são perigosos.

Por acaso, não tenho aqui uma fotografia do Tiago com um Rottweiller que o meu irmão teve ou da minha primeira Luna (São Bernardo), que pousava a sua enorme cabeça sobre o berço dele quando ainda era bebé e ficava muito quietinha a guardá-lo.

A descrição que é feita de animais perigosos no citado Decreto-Lei, dá vontade de rir, mas enfim, mais uma vez, quem sabe, sabe...

 

O texto que se segue sobre a identificação electrónica de animais (neste caso em apreço, dos cães), pertence também à Clínica Veterinária Os Bichos e foi-me amavelmente cedido. Parece-me conciso, mas muito completo e muito importante. No final, tive o cuidado de sublinhar e escurecer o texto devido à obrigatoriedade de todos os cães nascidos após 01/07/2008, terem de ser identificados, mas o melhor é mesmo ler o texto.

  

IDENTIFICAÇÃO ELECTRÓNICA

A identificação dos animais de companhia é essencial nos domínios sanitário, jurídico e humanitário, pois visa tanto a defesa da saúde pública como animal.
Desde há 15 anos que se generalizou na Europa a identificação electrónica dos animais de companhia.
O microchip pode ser colocado em cães, gatos, cavalos, aves e animais exóticos. Tem como objectivo combater e prevenir o abandono e o roubo do seu animal.

O microchip deve ser colocado subcutaneamente na face lateral esquerda do pescoço, sendo o procedimento praticamente indolor. A cada microchip está associado um número de identificação, de leitura óptica inalterável e único no mundo. Este tem o tamanho de um bago de arroz (12 mm/ 2 mm) e é revestido por uma capa de polipropileno bio-compatível que não provoca nenhum tipo de reacção alérgica após a sua colocação.
Após a aplicação do microchip este permanece no animal para toda a vida.

Com a entrada em vigor do Decreto-Lei nº 313/2003 de 17 de Dezembro, passou a ser obrigatória, a partir de Julho de 2004, a identificação por microchip de:

a) Cães de raça perigosa ou potencialmente perigosos, tal como definidos em legislação específica (Cão de Fila Brasileiro; Dogue Argentino;
Pit Bull Terrier; Rottweiler; Staffordshire Terrier Americano; Staffordshire Bull Terrier; Tosa Inu);

b) Cães utilizados em acto venatório (cães de caça);

c) Cães em exposição, para fins comerciais ou lucrativos, em estabelecimentos de venda, locais de criação, feiras e concursos, provas funcionais, publicidade ou fins similares.

Segundo o mesmo Decreto-Lei passou a ser obrigatória colocação de microchip a todos os animais canídeos nascidos depois de 1 de Julho de 2008. Sempre que seja declarada obrigatória a vacinação anti-rábica ou outros actos de profilaxia médica, estes não poderão ser executados enquanto o animal não estiver identificado electronicamente, nos casos em que esse modo de identificação seja obrigatório.

 

Para finalizar, para aqueles a quem interesse e que nunca tenham visto, deixo uma cópia do "Pedigree" (frente e verso) da Luna, ou, como o Clube Português de Canicultura agora passou a chamar-lhes: Certificado de Registo no Livro de Origens Português (L.O.P.). A quem interesse também, o standard da raça do Cão de São Bernardo é o FCI-61. No "pedigree" pode-se ver a indicação do número do microchip.

Tive o cuidado de ocultar qualquer referência ao vendedor, para que nenhum visitante tivesse a tentação de ir lá comprar. Foi comigo uma pessoa sem escrúpulos, vendeu-me um macho doente e mesmo com o relatório do médico veterinário não quis trocá-lo, nem vender-me outro por um preço inferior. Fica o esclarecimento.

 

Publicado por Humberto Ferreira às 00:10

Link do post | Comentar | Ver comentários (7) | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 26 de Maio de 2010

Encontro de Bloggers e Lançamento do Livro "Aldeias Históricas de Portugal - Guia Turístico"

Recebi hoje esta informação por parte do Blog http://www.aldeiadaminhavida.blogspot.com/ e disponibilizei-me a divulgá-la.

Caso não conheçam o Blog, aconselho a sua visita, pois é muito interessante. Fica então a informação completa, como sempre a quem interesse.

  

ENCONTRO DE BLOGGERS

E

LANÇAMENTO DO LIVRO

“ALDEIAS HISTÓRICAS DE PORTUGAL – GUIA TURÍSTICO”

 

Amigos bloguistas, a equipa do blog da Aldeia está em pulgas. Em Junho, o blog da Aldeia festeja o 1º aniversário da primeira blogagem colectiva. Devemos este facto a todos vocês, que mês a mês, participam e dão alento a todas as nossas iniciativas. Daí, decidimos comemorar em grande, organizando um Encontro de Bloggers. Para tal, escolhemos uma data importante: o dia 10 de Junho, Dia de Portugal. Assim, temos não um, mas dois motivos para festejar!

 

Todavia, na Aldeia da minha vida não fazemos as coisas por menos e acrescentamos mais uma razão para celebrar. Trata-se de algo exclusivo (e revelamos: é o prémio que os vencedores de Abril e os das próximas blogagens irão receber). No intuito de dar valor ao património histórico e cultural português de uma forma refrescante, inovadora e criativa, a Olho de Turista (recente empresa de produção e edição de publicações de informação turística) apresentará no dia 10 de Junho: o primeiro Guia Turístico das Aldeias Históricas de Portugal!!! Esta original obra promove as mais diversas áreas das 12 emblemáticas aldeias: infra-estruturas, recursos turísticos, património, artesanato, produtos típicos, tradições.... Curioso? A partir do dia 10 de Junho, poderá adquiri-lo em diversas bancas lusas.

 

Entretanto, pode antecipar-se e vir conhecer não só esta novidade literária e cultural, como também toda a equipa da Olho de Turista e Aldeia da Minha Vida. Lançamos então o convite seguinte: Junte-se a nós neste evento especial que decorrerá no Convento dos Frades, na cidade de Trancoso. No programa, constam 3 momentos marcantes: o Encontro de Bloggers (com início às 9h30 da manhã), um almoço-convívio no restaurante “A Cerca” do Hotel Turismo de Trancoso 4* (às 13h00), o lançamento do livro “Aldeias Históricas de Portugal – Guia Turístico” (às 16h00 com conferência de imprensa e inauguração da exposição “Aldeias Históricas de Portugal”) e por fim, um passeio pela bela aldeia histórica de Trancoso. Pelo meio, haverá ofertas de coffee-breaks e degustações de iguarias regionais, de manhã e de tarde.

 

Nota de extrema importância: O almoço-convívio é buffet e é pago. O preço é de 15€ (com inscrição até ao dia 2 de Junho). Inclui a refeição (entradas variadas, sopa, cozido à moda de Trancoso, sortido de sobremesas e bebidas, à descrição), os coffee-breaks e as provas gastronómicas. Haverá serviços de baby-sitting e animação infantil (para crianças a partir dos 3 anos; ambos os serviços são gratuitos). O livro “Aldeias Históricas de Portugal – Guia Turístico” estará à venda no local.

 

O convite é dirigido a todos os bloguistas. Quem desejar estar presente, basta mandar um mail para aminhaldeia@sapo.pt para lhe enviarmos o formulário de inscrição e o programa detalhado. Faça-o com antecedência, pois tem até ao dia 2 de Junho para se inscrever.

 

Nota1: Os interessados em pernoitar uma ou mais noites no Hotel Turismo de Trancoso 4*, indique-nos essa informação através do mesmo mail. No formulário, constará as ofertas especiais deste estabelecimento hoteleiro.

 

 

 

 

 

 

  

Publicado por Humberto Ferreira às 18:16

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Propagação de árvores e plantas

A propagação de árvores e plantas é um dos meus passatempos (é verdade que já foi mais), mas nos últimos anos a maioria das árvores que plantámos têm saído de uma pequena estufa junto à casa de meus pais.

 

Embora haja árvores cuja propagação se faça tanto por estaca como por semente é, através da leitura de livros, da informação que retiro da internet, mas sobretudo da experiência que utilizo uma ou outra para chegar aos resultados que pretendo.

 

Por exemplo, todos os tipos de carvalhos se propagam facilmente através da bolota. É esperar pela época da sua maturação, colhê-las e lança-las imediatamente à terra e na primavera germinarão. As espécies autóctones são o carvalho alvar e o negral, que se distinguem perfeitamente, quer pela folhagem, quer pelo casco da madeira.

 

Outro exemplo, é o choupo ou o plátano que se propagam muito mais facilmente através de estacas, podem ser enterradas no Outono ou na Primavera, neste último caso, em terrenos mais húmidos.

 

Por fim, deixarei outro exemplo curioso. Comprei através da internet seis sementes de sequóia da variedade sempervirens, vindas dos EUA. Das seis, apenas germinaram três e dessas três apenas sobreviveu uma planta.

Pois a partir dessa planta, vim a descobrir, após várias experiência que poderia ser propagada por estaca, desde que se seguissem determinados procedimentos. Este anos, após 5 anos de ter adquirido as sementes, já pudemos plantar as primeiras 70 árvores. Fiquei satisfeito.

Estou a tentar descobrir uma forma de fazer o mesmo com as sequóias giganteum, mas, tenho a impressão de ainda estar longe de um resultado satisfatório.

 

Pode ser que um dia, que por certo não chegarei a ver, exista um mini bosque de sequóias em Vale Salgueiro a simular os extensos bosques dos EUA e com um pequeno General Sherman do Sequoia National Park, a este de Visalia, na Califórnia e cujos dados, resumidos, em 2002 eram, segundo a Wikipédia:

- 83,8 m de altura;

- 31,3 m de circunferência na base;

- 11,1 m de diâmetro na base;

- 1.487 m3 de madeira.

 

As fotos que se seguem, são de algumas plantas que reproduzo. Não têm muita qualidade, uma vez que a maioria foram tiradas com o telemóvel, mas dá para ficar com uma ideia.

 

 

 
Publicado por Humberto Ferreira às 00:39

Link do post | Comentar | Ver comentários (7) | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 25 de Maio de 2010

Rastos de cimentos, sinais de trânsito e outras coisas mais...

Julgo que a grande maioria de nós, ainda que não preste grande atenção, já se encontrou com cimento fresco (e seco) espalhado onde calha, mas sendo mais frequente nas rotundas e nas subidas, uma vez que as primeiras obrigam os camiões a inclinar-se pela força centrífuga (também é verdade que se fizessem as curvas a menor velocidade isso não aconteceria) e as segundas, consoante o grau de inclinação da subida, maior é também o desnível do cimento dentro das betoneiras, acabando assim por sair.

 

 

A verdade é que com excepção da primeira fotografia, nunca vi ninguém da(s) empresa(s) a limpar. De qualquer forma, não estavam a limpar, limitavam-se a empurrar parte do cimento que estava na estrada, para a berma.

Em outra ocasião vi uma máquina (retroescavadora), no cruzamento da Sra. da Azinheira a arrancar as várias camadas de cimento seco que já se acumulavam, mas dessa vez julgo ter sido a Junta de Freguesia ou a CMC a terem de fazer esse serviço, porque a(s) empresa(s), ainda que sejam obrigadas, não o fazem.

 

 

Mas se esse problema não chegasse ainda há outro que considero de maior gravidade.

 

Sobre os sinais limitadores de velocidade nem vale a pena falar, porque todos vemos a forma como conduzem, mas sobre os sinais limitadores de tonelagem é, no mínimo, curioso o que tem acontecido.

Todos os sinais que têm sido colocados têm desaparecido, ninguém vê nada, ninguém sabe quem é, ou seja, evaporam-se, possivelmente com o calor que tem estado.

Mas no Sábado de manhã, passei pela estrada que liga a nossa Aldeia a Vila Verde da Raia e por baixo de casa de meus pais estava um sinal novo (como o que se vê na foto da rotunda das Antas), indicando o limite de tonelagem (19 t) e a distância (1700 mt) e reparei na existência de outros à entrada da ponte de Vila Verde da Raia e em sentido contrário, embora um deles já tivesse sido vandalizado, pintaram as 19 t que a ponte suporta de branco. Assim, quem veja o sinal ao longe parece um sinal de trânsito proibido.

 

 

Eu não percebo muito de camiões, mas será que um camião carregado de arreia molhada ou com uma betoneira cheia de cimento não ultrapassa as 19 t?

 

Será que têm algum sistema de depuramento das águas de lavagem dos camiões e outros utensílios?

 

Para onde é despejada essa água? No rio?

 

E, onde vão buscá-la? Ao rio?

 

Podem fazer de um terreno da veiga um estaleiro para deposição de inertes, alterando a sua orografia e utilizando-o também como parque de estacionamento das galeras?

 

Agora para finalizar e o que até achei mais "graça", é que hoje o sinal que se encontrava por baixo de casa de meus pais, já não se encontrava lá. Até liguei ao amigo com quem eu ia no Sábado para confirmar que tinha visto bem. Vamos ver quanto tempo os restantes sinais vão permanecer no seu lugar e vão ser respeitados.

 

 

Publicado por Humberto Ferreira às 00:39

Link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 24 de Maio de 2010

Nem sempre o tamanho assusta

Bom dia para todos,

 

Enquanto não chega o prometido post mais pormenorizado sobre a Rôla, fica um registo da sua mansidão.

 

Como se pode ver pelas imagens a corpulência deste animal não assusta uma criança de 5 anos. O Tiago sempre gostou de animais e foi desde pequeno habituado a não demonstrar medo perante eles. Como sabemos, os animais pressentem esse medo e utilizam-no a seu favor para se colocarem a um nível superior. Com a Rôla é diferente, nem um bom puxão de rabo a incomoda.

 

 

Publicado por Humberto Ferreira às 10:43

Link do post | Comentar | Ver comentários (6) | Adicionar aos favoritos

Sem imagens....

Por muito que me custe é mais uma verdade que não posso deixar passar ao lado.

Quando falei dos lixos na Mina e dos esgotos em Vale Salgueiro, estava longe de imaginar o que iria encontrar, desta vez por mero acaso.

 

Quer pelas responsabilidades que acarreta às entidades envolvidas, quer por se usarem vários ditados, que assentam como uma luva, quer a uns, quer a outros.

 

É fácil escrever quando, porque se acham uma entidade acima dos demais cidadãos, se julgam no direito que não devem cumprir: aquilo que escrevem; ou que se propõem fazer; ou que prometem fazer.

 

Não vou transcrever aqui os textos, porque acho que são pouco adequados, mesmo para um blog como este em que a verdade tem de utilizar expressões pouco habituais para enfrentar quem está mais habituado ao incumprimento e ao embuste.

 

Assim deixarei ligações que os enviarão directamente para as palavras escritas por outros, nos quais a maioria "diz acreditar", ou seja, não se trata da minha opinião, nem das minhas convicções em relação à preservação do ambiente, das lixeiras sem qualquer controlo e dos esgotos que contaminam toda a água e terrenos que encontram a seu passo e, muito menos das opiniões de que possam ser alvo os meus comentários por se referirem às pessoas a quem se referem.

 

É claro que, mais uma vez, este post se dedica apenas a todos aqueles a quem interesse, os restantes, podem continuar a enfiar a cabeça na areia.

 

Código de posturas do município de Chaves:

http://www.cm-chaves.pt/fs/Regulamentos/2007/posturas.pdf

(Só são 18 páginas, mas pelo menos prestem atenção aos artigos 13º, 17º, 28º e 39º)

"Em casa de ferreiro, espeto de pau".

 

Programa PSD - Outeiro Seco:

http://psdouteiroseco.blogs.sapo.pt/

(Post de dia 02/10/2009 - Como sabem, só estão publicados os comentários de determinadas pessoas, os restantes, como por exemplo os meus, foram "censurados").

- AmbienteContribuir para a Educação Ambiental, nomeadamente junto dos mais novos; continuar a manter todos os espaços verdes bem conservados; conservar a freguesia limpa e asseada, como orgulhosamente tem acontecido. Lutar contra a degradação ambiental e incêndios, através da prevenção (informação, sinalética,…) e serviços de fiscalização.

 

(Embora tenha enviado para as Juntas as informações relativas às infracções com o lixo da Mina e os esgotos de Vale Salgueiro, parece que nada tem sido feito, nem tenho recebido os comprovativos de recepção dos mails, com excepção, honra lhe seja feita, do Sr. Ulisses que parece estar a levar o seu cargo a sério).

Julgo que é importante que seja tomada outra atitude, face aos ofícios, notificações de apoio que já recebemos e o atrás referido código de conduta de posturas do município de Chaves, que como podemos verificar, nem sequer ela própria está a cumprir. Se a Junta ficar de braços cruzados, não estará a cumprir o que prometeu aos seus eleitores e, continuará a encobrir a CMC dos atentados ambientais que tem cometido contra a nossa Aldeia.

Publicado por Humberto Ferreira às 00:52

Link do post | Comentar | Ver comentários (3) | Adicionar aos favoritos
Domingo, 23 de Maio de 2010

Ulilização do Novo Estádio das Antas

Como já referi, não gosto de futebol, conto bem pelos dedos de uma mão as vezes que joguei (quero dizer que estive dentro de um campo), mas este post vai dedicado a uns amigos meus que todos os Domingos (quase) sem excepção ocupam o Novo Estádio das Antas, que pertence à CMC.

 

Julgo que são os únicos que o fazem (utilizar o campo). Todos vivem em Chaves, a maioria também são dessa cidade, mas um número considerável é de uma Aldeia amiga - Segirei, da qual irei ter oportunidade de falar, não só pela beleza das suas paisagens, que no passado Verão sofreram um forte revês com os incêndios, mas principalmente pelas suas gentes que atendem qualquer estranho como se o conhecessem de toda a vida. Quem não conhecer Segirei aconselho uma visita, mas com calma.

 

No Domingo em que tirei as fotos estavam poucos jogadores, talvez devido ao frio que se fazia sentir e à chuva. Depois uns referiam-se à dificuldade nos acessos, outros também se queixavam do lixo, mas lá lhes tentei dizer que estava tudo a ser resolvido (foi só uma pequena mentira). Quando os encontrar de novo digo-lhes a verdade e fica tudo bem.

Pude encontrar o Ricardo Salgado, mas faltava o seu pai - Sérgio Salgado, dono do Restaurante Bela Vista no Alto da Forca. De Segirei, estava o Tozé (comercial da Mestre Alimentar), mas faltava seu primo Zé Augusto, (auxiliar de pecuária e de quem fui colega nesse serviço durante 8 anos) e o Gilberto (homem de peso, a que ninguém se atreve a faltar ao respeito, árbitro, bandeirinha dos dois lados do campo, presidente do grupo de jogadores e dono de uma frutaria no cimo da Rua Direita em Chaves)

 

E falta referir que desta equipa já se reformaram o conhecido Chico do Kambu, o seu ex-funcionário João, o Jorge, também de Segirei (funcionário do Hospital de Chaves) e o Morais, ex-cozinheiro da GNR e, como não, também de Segirei.

 

Aproveito para informar a Junta de Freguesia, caso tenha alguma responsabilidade na manutenção desse espaço, que um dos postes de madeira do lado poente se encontra partido, a pouca altura do solo, tornando-se perigoso caso alguém caia em cima, devido às farpas que ficaram erigidas.  Caso não seja sua responsabilidade, que transmita esta informação a quem a tenha.

Ficam algumas fotos.

 

 

 

 

 

Publicado por Humberto Ferreira às 23:32

Link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos
Sábado, 22 de Maio de 2010

As flores da Sra. Eugénia

A Sra. Eugénia bem me tinha dito que os seus canteiros da Capela de Nossa Senhora da Portela ficariam mais bonitos quando as roseiras desabrochassem e, eu, prometi-lhe que lá voltaria. E a promessa já estava a demorar.

 

Fui lá três vezes, mas não havia maneira das rosas abrirem, a chuva, o frio e o gelo, mantinham-as recolhidas.

 

No entanto, aproveitava para recolher fotografias de outras flores que entretanto acabaram por murchar.

 

Assim, o conjunto de fotos que aqui fica é o de uma promessa cumprida e uma forma de agradecer à Sra. Eugénia que ao longo de mais de 30 anos, sem qualquer ajuda e, de forma totalmente altruísta, dá o seu melhor para o bem da comunidade. É sem dúvida um dos poucos exemplos de cidadania.

 

Obrigado e bem haja.

Berto.

 

 

  
Publicado por Humberto Ferreira às 00:53

Link do post | Comentar | Ver comentários (5) | Adicionar aos favoritos

Página e Ligação para a Junta de Freguesia de Outeiro Seco

Por esquecimento, não imperdoável, passou-me por alto a colocação de uma ligação da página da Junta de Freguesia de Outeiro Seco.

Essa ligação já está disponível junto às demais e fico contente por ser uma forma de divulgação dos trabalhos realizados e de contacto da população com a Junta de Freguesia.

Aliás esta era uma das promessas da campanha eleitoral, pena é que o "banco de ideias" (também prometido) não esteja disponível, uma vez que foram várias as que já remeti e não estão visíveis.

O endereço para a página da Junta de Freguesia é: http://jf-outeiroseco.webnode.com.pt/

O endereço de email para contactos é: jf-outeiroseco@sapo.pt

Visitem-na e fiquem a saber todas as novidades em primeira mão.

 

Nota: Hoje (Sábado), não estarei cá, pelo que se não responder aos comentários, como habitualmente faço, fica aqui a justificação.

 

PrtScn da Página Inicial:

 

Publicado por Humberto Ferreira às 00:45

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 21 de Maio de 2010

Tríptico

Estas fotos já foram tiradas há muito e ficaram a aguardar. Ganharam pó e aos poucos tomaram a forma que têm agora.

Nessa época a máquina fotográfica era fraca (não é que agora seja muito melhor, mas, como diz o Tiago, escapa).

Esta é uma simples cabaça, que para além de nos mostrar as suas duas faces, mostra-nos o seu coração.

Para além de servir para a alimentação animal, preparam-se com ela diversas iguarias, isto para quem souber fazê-las.

Aceitam-se sugestões....

 

 

Publicado por Humberto Ferreira às 11:19

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Resposta governamental a Pergunta do Deputado Agostinho Lopes (PCP) - Esgotos em Vale Salgueiro

Boa noite ou Bom dia para todos,

Bem,  se eu ontem dizia que o dia ia ser complicado, hoje parece que não começa melhor.

Mas lá terá que ser. Chegou-me mais uma informação relativamente aos esgotos em Vale Salgueiro. Expus a questão a todos os grupos parlamentares, mas só o do PCP demonstrou interesse em colocar a questão ao Governo.

 

O mail já chegou ontem e, procedi ao seu reencaminhamento para a Junta de Freguesia para que possa agir em conformidade, conjuntamente com o ofício do SEPNA-GNR que já lhes tinha sido remetido oportunamente, bem como das fotografias que comprovam o incumprimento da ordem deste último ofício, e, para o Sr. Ulisses, uma vez que é matéria de seu interesse tendo em conta o cargo que ocupa.

 

Também verifiquei que o documento, emitido pelo órgão do Governo, está desfasado da realidade, principalmente no espaço temporal (mas não só), carece de objectividade e apresenta várias lacunas. Preocupações que fiz saber ainda ontem, em resposta ao mail do Deputado da bancada do PCP.

 

Não o publiquei aqui ontem, porque quis deixar o post do Sr. Manuel da Cruz mais visível, mas hoje, para todos a quem interesse aqui fica a informação que me remeteram, porque julgo que deve ser divulgada.

Berto 

  

 

 

 

 

 

Publicado por Humberto Ferreira às 00:37

Link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 20 de Maio de 2010

Manuel da Cruz - "Memórias de uma vida"

E como o dia vai estar complicado, aproveito para aqui deixar  uma homenagem a um familiar, o Sr. Manuel da Cruz, uma vez que é primo da minha avó paterna, infelizmente já falecida, Isaura dos Santos.

Mesmo que esse grau de parentesco não existisse, o destaque que aqui deixo, deve-se a sua recente obra, "Memórias de uma vida", cuja tiragem de 200 exemplares acabou por distribuir por familiares e amigos.

O meu exemplar, que desde já agradeço, chegou-me pelas mãos do meu Tio Manuel Ferrador.

Antes de vos deixar as imagens das capas, transcrevo uma frase que retiro da contracapa.

"Trata-se de um homem de ideias, de objectivos e de amor à terra que o viu nascer."

Palavras para quê...

Ao Sr. Manuel da Cruz, agradeço a amizade familiar, aproveito para lhe dar os parabéns pelo seu livro e desejo que continue com essa jovialidade por muitos e bons anos.

Um abraço,

Berto

 

Publicado por Humberto Ferreira às 00:34

Link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos

Humberto Ferreira . Berto Alferes

Pesquisar neste blog

 

Dezembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

Imagens - Nossa Senhora

Fotografia - Ao acaso

Fotografia - Suas cabras!

Vamos até Viade de Cima -...

Natureza

Vamos até Águas Frias - C...

Visite Chaves, cidade ter...

Imagens - Imaculada Conce...

Fotografia - Ao acaso

Fotografia - Suas cabras!

Exposições de fotografia ...

Natureza

Ruínas do Solar dos Monta...

Visite Chaves, cidade ter...

Imagens - Sagrado Coração...

Fotografia - Ao acaso

Fotografia - Suas cabras!

Vamos até Vidago - Chaves...

Natureza

Nosso Senhor dos Desampar...

Visite Chaves, cidade ter...

Imagens - Santa Luzia

Fotografia - Ao acaso

Orçamento Participativo d...

Orçamento Participativo d...

Vamos até Vidago - Chaves...

Natureza

Cruzeiro

Visite Chaves, cidade ter...

Imagens - São Salvador do...

Arquivos

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

tags

acisat

agricultura

aldeias

ama

ambiente

amnistia internacional chaves

ana maria borges

antigamente

aqi

auto da paixão

berto alferes

boticas

casa de cultura

chaves

cogumelos

coleccionismo

comboios

contributos

desporto

dinis ponteira

diogo rolim

direitos humanos

esgotos

exposições

família

fátima

fauna

faustino

feira do gado

feira dos santos

fernando ribeiro

festa do reco

flora

fotografia

galiza

humberto ferreira

incêndio

isaac dias

j.b.césar

joão jacinto

joão madureira

josé arantes

lamartinedias

laura freire

legislação

lixo

luís montalvão

lumbudus

máquinas fotográficas antigas

marco costa

miguel ferrador

montalegre

natureza

notícias

olhares

orçamento participativo

orçamento participativo 2015

outeiro seco

pablo serrano

património

pedro afonso

pitões das júnias

políticos

recortes

regina celia gonçalves

religião

rita gonçalves

romeiro de alcácer

santarém

são sebastião

segirei

sr. luís fernandes

sr.joãojacinto

suas cabras

tiago ferreira

tradições

tupamaro

vamos até

verin

vidago

vítor afonso

todas as tags

Favoritos

Ocasionais

Blogues Amigos




Creative Commons License

AVISO:
A cópia ou utilização das fotografias e textos aqui publicados são expressamente proibidas, independentemente do fim a que se destinam.
Berto Alferes

Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License

Lumbudus

Tradições

Património

Coleccionismo

Fauna

Flora

Aviso




Creative Commons License

AVISO:
A cópia ou utilização das fotografias e textos aqui publicados são expressamente proibidas, independentemente do fim a que se destinam.
Berto Alferes

Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Visitas:

subscrever feeds