Outeiro Seco - AQI...

Tempo Outeiro Seco
Quarta-feira, 16 de Março de 2016

Contributos - Sr. João Jacinto - "Salada de merugens ou moruges"

 

Contributos2014.jpg

 

Hoje as minhas memórias de infância, não sei porque motivo, trazem-me à lembrança uma velha recordação dos anos chuvosos em Outeiro Seco.

 

Sendo estes anos chuvosos propícios ao desenvolvimento de este tipo planta: as merugens, pois necessitam de grande quantidade de água corrente.

 

Esta planta é comestível, mas tem um período de vida muito curto.

 

_D762117-Blogue

 

Dá-se muito bem nas bordas dos ribeiros, nas valas (abertas) dos lameiros, onde outrora corriam águas límpidas e cristalinas, pelo que nos dias de hoje será difícil de encontrar. São minúsculas plantas que formam um autêntico tapete flutuante sobre as correntes de água.

 

Quando se detetava um local onde a planta em causa aparecia, pegava-se numa tesoira e uma saca, e procedia-se ao corte, era uma operação muito cuidadosa, tinham de ser cortadas logo a seguir as folhas, ou não se podiam comer, pois ficavam com um sabor amargo, e por norma tinham de ser de água corrente e não parada.

 

Feita esta operação, chegava-se a casa e procedia-se à sua lavagem em várias águas. Depois eram colocadas em uma travessa temperadas com sal grosso bastante azeite e vinagre. Um verdadeiro manjar dos Deuses.

 

_D762122-Blogue

 

No mês de Fevereiro e parte de Março, era a fase em que se comiam. Pois segundo aquilo que diziam as pessoas de idade, depois do Cuco chegar já não prestavam, porque o cuco cagava nelas.

 

Ou seja, esta planta tem um ciclo muito curto e logo que aparecem os primeiros calores de Março, começam a florir e deixam de ter valor comestível.

 

Espero que desfrutem de um bom prato de merugens, mas em Outeiro Seco hoje não sei onde será possível descobrir tal manjar da forma como grassa para aqueles lados a poluição, mas se encontrarem aproveitem, não perdem nada.

 

 

João Jacinto

 

Publicado por Humberto Ferreira às 00:05

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 7 de Janeiro de 2015

Contributos - Sr. João Jacinto - "Cabos de Polícia / Cabos de Ordem"

 

Contributos2014.jpg

 

 

CABOS DE POLÍCIA / CABOS DE ORDEM

 

Vamos falar hoje de Outeiro Secanos que exerceram as funções  de Cabos de Policia na nossa freguesia.

Para manter a ordem e a tranquilidade, além de outras funções tornou-se necessário criar a nível Nacional, a figura do Regedor de Paróquia.

Mas para ajudar o Regedor nessas vastas tarefas locais, foi necessário a criação de uma outra figura, os cabos de polícia ou cabos de ordens.

Outeiro Seco teria o seu Regedor no tempo da Monarquia e durante a República.

No tempo da Monarquia usava um uniforme, casaca azul com um ramo de carvalho de ouro bordado em cada gola, colete de caxemira, calças azuis botas e chapéu redondo. No chapéu tinha um laço da cor nacional, e uma presilha preta com o nome da freguesia.

Este por sua vez tinha as suas ordens os Cabos de Policia, que eram recrutados nos jovens da aldeia acabados de chegar do serviço militar, e que tinham de ter uma boa constituição física.

Mas com o decorrer dos tempos, a GNR começa a fiscalizar as zonas Rurais e assim vai estendendo a sua área de fiscalização, passando a dar mais tarde ou mais cedo o golpe fatal nos cabos de polícia.

Numa visita ao nosso baú, das recordações descobrimos uma listagem do ano de 1887 a 1928.

 

_D804589.JPG

(1)

 

 

Nomeação de Cabos de Polícia na Freguesia de Outeiro Seco

 

Nome

 

Nomeado

Exonerado

Localidade

 

Adelino Ferreira Rodrigues

1ª Classe

31011887

31011896

Outeiro Seco

Manuel André

1ª Classe

31011887

31011892

Outeiro Seco

Valentim dos Santos Batista

1ª Classe

31011887

31011892

Outeiro Seco

Francisco Gonçalves Sevivas

1ª Classe

31011887

25041903

Santa Cruz

Albino Pereira

2ª Classe

31011887

31011888

Outeiro Seco

João Barroco

1ª Classe

31011888

25041903

Outeiro Seco

António Ginjo

1ª Classe

31011888

25041903

Outeiro Seco

Manuel Fernandes

3ª Classe

31011888

31011906

Outeiro Seco

António Ferreira Rodrigues

1ª Classe

31011888

25041903

Outeiro Seco

Bernardino Feijó

1ª Classe

31011888

25041903

Outeiro Seco

Miguel Ferreira Pantaleão

1ª Classe

25041903

23111903

Outeiro Seco

Pedro de Sousa

1ª Classe

25041903

23111903

Outeiro Seco

Casimiro Madeira

1ª Classe

25041903

28041913

Outeiro Seco

João Félix

1ª Classe

25041903

23071912

Outeiro Seco

Manuel Pipa

1ª Classe

23111906

04121914

Outeiro Seco

António Ramos Agrela

1ª Classe

23111906

04121914

Outeiro Seco

José Sevivas Morgado

3ª Classe

23111906

18121914

Santa Cruz

António Ribeiro

1ª Classe

23031912

09031915

Outeiro Seco

João da Cruz Cortiço

1ª Classe

28041913

09031915

Outeiro Seco

Manuel Neves

2ª Classe

28041913

09031915

Outeiro Seco

Domingos da Cruz

2ª Classe

04121914

09031915

Outeiro Seco

António Lopes de Sousa

3ª Classe

18121914

09031915

Outeiro Seco

João Júlio Alves

3ª Classe

09031915

26081916

Outeiro Seco

António Ramos Agrela

3ª Classe

09031915

26081916

Outeiro Seco

José Ramos Agrela

3ª Classe

09031915

26011918

Outeiro Seco

João Gonçalves Sevivas

3ª Classe

09031915

01021918

Santa Cruz

António Gonçalves Sevivas

3ª Classe

09031915

01021918

Santa Cruz

Domingos Cortiço

1ª Classe

26031916

26011918

Outeiro Seco

Augusto José

2ª Classe

26031916

26011918

Outeiro Seco

António Simão

3ª Classe

26011918

14071921

Outeiro Seco

José Barrocas

1ª Classe

26011918

14071921

Outeiro Seco

António Agrela

1ª Classe

26011918

20071921

Outeiro Seco

Félix Gomes Carvalho

1ª Classe

01011918

14071921

Santa Cruz

Francisco António Farragacho

1ª Classe

01021918

20071925

Santa Cruz

João da Cruz Cortiço

1ª Classe

14071921

10101925

Outeiro Seco

João Agrela

1ª Classe

14071921

05091925

Outeiro Seco

António dos Santos

1ª Classe

02011924

20071925

Santa Cruz

Manuel Cunha

1ª Classe

02011924

20071925

Santa Cruz

João Cabugueira

1ª Classe

20071925

24031927

Santa Cruz

António Carpinteiro

1ª Classe

20071925

22041926

Santa Cruz

António Meireles Pinto

1ª Classe

20071925

22041926

Santa Cruz

Manuel Maria

1ª Classe

05091925

31081926

Outeiro Seco

Albano Carpinteiro

1ª Classe

05091925

22041926

Santa Cruz

José Manuel

1ª Classe

10101925

24041927

Outeiro Seco

Casimiro Madeira

1ª Classe

10101925

31011927

Outeiro Seco

Justino Albino Jorge

1ª Classe

22041926

31081926

Outeiro Seco

Alberto Santos Costa

1ª Classe

31081926

19061927

Outeiro Seco

Manuel Ervões

1ª Classe

31081926

13081927

Outeiro Seco

Francisco Meireles Pinto

2ª Classe

19031927

19081927

Santa Cruz

Manuel Gonçalves

1ª Classe

19031927

24051928

Outeiro Seco

João Júlio Alves

1ª Classe

19031927

24051928

Outeiro Seco

José Pereira do Rio

1ª Classe

13081927

24051928

Outeiro Seco

João Sobreira

1ª Classe

24021928

24051928

Outeiro Seco

Clemente da Cruz Cortiço

1ª Classe

24021928

24051928

Outeiro Seco

 

_D804592.JPG

(1)

 

 

E termina por aqui esta listagem. Quantas histórias estes homens teriam para contar sobre Outeiro Seco. 

 

João Jacinto

 

(1) - Fotografias meramente ilustrativas. Propriedade dos negativos e dos direitos de autor: Humberto Ferreira

 

Publicado por Humberto Ferreira às 00:05

Link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos
Sábado, 5 de Junho de 2010

Castro de Santa Ana

Perguntei ao meu pai relativamente ao carreirão que utilizávamos para "passar" o gado e que ladeava os poços de onde retiravam o volfrâmio durante a guerra, mas ele disse-me que não seria esse carreirão ao qual o Sr. João Jacinto se estaria a referir, mas sim outro que passava mais abaixo junto à Capela de Santa Ana, tal como Sr. dizia. Mas claro, ele não sabe de nenhuma lenda sobre o tal carreirão, nem de nenhum Santo anterior à Santa Ana. É uma pena não se comunicar comigo por email, eu manter-lhe-ia o anonimato, já o fiz com outras pessoas e eu sou de manter a palavra, tal como me educaram.

O carreirão/caminho que eu me lembrava de utilizar, mais durante a noite, (isto só a partir da Aldeia) era o que passava ao pé da Mãe d' Água, da actual casa do Carlos Rio, poços de volfrâmio, Santa Cruz, Forte São Neutel, Bairro Verde e Estação de Comboios.

 

Aparecem fotos de uma espécie de carreirão, que parte desde a Capela de Santa Ana e de partes de um "murete" que seguem para Sul. Poderão ser vestígios desse tal carreirão antigo?

 

Do Castro de Santa Ana, se assim se lhe pode chamar, do meu ponto de vista nada resta. Comecei junto à Capela à procura de padrões, e para além de alguns escalões (recuperados) com a restauração, aparecem em uma rocha lateral dois orifícios, idênticos aqueles que estão na face exterior da fraga que integra a Capela de Santa Ana.

Ao subir encontrei várias pedras com marcas, mas começam a tornar-se confusas, pois não se sabe se são "originais" (entenda-se antigas) ou, se se tratam de marcas da máquina que destruiu aquele espaço para construir os depósitos de água.

Depois, ainda tive esperanças ao encontrar um orifício em uma das pedras soltas. Mas desconfiei, pelo facto de ser apenas um, estar demasiado perfeito e não corresponder aos que se encontram junto à Capela. Ao introduzir um ramo verifiquei que era um furo para inserir bombas. Mais acima, confirmava-se, uma vez que, em outro furo, ainda restavam vestígios de giestas inseridas no orifício, utilizadas para os furos não voltarem a encher de terra ou pó.

O marco geodésico (julgo que é assim que se chama) está construído em cima de uma fraga, na qual se pode ver uma pequena perfuração de forma rectangular, mas como disse, não sei determinar de quando será.

 

Depois, pode ver-se um terreno privado a nascente da Capela que tem um conjunto de pedras que aparentam uma certa antiguidade e, outro terreno privado a poente do Castro, com fragas à mostra, mas que foram "raspadas" com máquina.

Em ambos casos, não tirei fotografias por se tratarem de propriedades privadas.

 

Deixaria também um apelo à Junta de Freguesia, caso leia este blog, que os depósitos de água apresentam rachadelas e, em volta dos depósitos há muita erva e silvas que deveriam ser limpos, uma vez que em caso de ocorrer um incêndio poderia acarretar graves consequências.

 

Fica então um slide com as fotografias que pude recolher.

Tal como no anterior post, volto a repetir que este tipo de recolhas (seja qual for o assunto) posso fazê-las a pedido de qualquer pessoa ou como refiro nos objectivos do blog, publicar textos privados de opinião desde que identificados e, caso necessitem de apoio fotográfico e/ou de redacção eu estarei disponível para ajudá-los.

 

 

 
Publicado por Humberto Ferreira às 20:27

Link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos

Humberto Ferreira . Berto Alferes

Pesquisar neste blog

 

Julho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

Contributos - Sr. João Ja...

Contributos - Sr. João Ja...

Castro de Santa Ana

Arquivos

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

tags

acisat

agricultura

aldeias

ama

ambiente

amnistia internacional chaves

ana maria borges

antigamente

aqi

auto da paixão

berto alferes

boticas

casa de cultura

chaves

cogumelos

coleccionismo

comboios

contributos

desporto

dinis ponteira

diogo rolim

direitos humanos

esgotos

exposições

família

fátima

fauna

faustino

feira do gado

feira dos santos

fernando ribeiro

festa do reco

flora

fotografia

galiza

humberto ferreira

incêndio

isaac dias

j.b.césar

joão jacinto

joão madureira

josé arantes

lamartinedias

laura freire

legislação

lixo

luís montalvão

lumbudus

máquinas fotográficas antigas

marco costa

miguel ferrador

montalegre

natureza

notícias

olhares

orçamento participativo

orçamento participativo 2015

outeiro seco

pablo serrano

património

pedro afonso

pitões das júnias

políticos

recortes

regina celia gonçalves

religião

rita gonçalves

romeiro de alcácer

santarém

são sebastião

segirei

sr. luís fernandes

sr.joãojacinto

tiago ferreira

tradições

tupamaro

vamos até

verin

vidago

vítor afonso

todas as tags

Favoritos

Ocasionais

Blogues Amigos




Creative Commons License

AVISO:
A cópia ou utilização das fotografias e textos aqui publicados são expressamente proibidas, independentemente do fim a que se destinam.
Berto Alferes

Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License

Lumbudus

Tradições

Património

Coleccionismo

Fauna

Flora

Aviso




Creative Commons License

AVISO:
A cópia ou utilização das fotografias e textos aqui publicados são expressamente proibidas, independentemente do fim a que se destinam.
Berto Alferes

Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Visitas:

subscrever feeds