Outeiro Seco - AQI...

Tempo Outeiro Seco
Quarta-feira, 31 de Janeiro de 2018

Contributos - João Jacinto - "Combatentes da Grande Guerra de 1914-1918 da aldeia de Outeiro Seco – José Manuel Figueiras"

 

COMBATENTES DA GRANDE GUERRA DE 1914/1918 DA ALDEIA DE OUTEIRO SECO

 

Vamos continuar a divulgar os combatentes da 1ª. Guerra Mundial, pertencentes à aldeia de Outeiro Seco. Hoje vamos falar de outro combatente. Seu nome é José Manuel Figueiras.

 

Alertamos desde já, que também relativamente a este combatente, não foi encontrada a sua ficha do CEP, nem o seu nome foi encontrado nas várias listagens consultadas. Apenas temos conhecimento através de indicações verbais, fornecidas por pessoas idosas da aldeia, que nos informaram que ele foi um dos mobilizados para combater em França.

 

Este combatente fazia parte do Regimento de Infantaria 19, onde se tinha alistado. Partiu para a frente de combate com 20 anos de idade, no dia 17 de Novembro de 1917. Esteve na frente até ao mês de Janeiro de 1919, data do seu regresso. Ali sofreu as amarguras da guerra, ali lutou como um valente. Regressou à sua terra como muitos outros, acompanhado por algumas mazelas.

 

_D804591.JPG

 

Afim de sabermos mais um pouco sobre este combatente, consultamos o livro de batismos da paróquia de Outeiro Seco. Verificamos o seguinte:

Assento nº1/1897

Aos sete dias do mês Janeiro de mil oitocentos e noventa e sete, nesta igreja paroquial de São Miguel de Outeiro Seco, batizei solenemente um indivíduo do sexo masculino, a quem dei o nome de José, que nasceu neste lugar e freguesia as sete horas da tarde do dito dia e mês, e ano filho legítimo de João Manuel Figueiras, natural de São Mamede de Argeriz, concelho de Valpaços, e de Ana da Cruz, natural deste lugar e freguesia, neto paterno de Carolina Pinto, avô incógnito, e materno de Domingos da Cruz e Inocência Rosa, foi seu padrinho António Joaquim de Amorim, estudante e residente neste súbdito lugar e freguesia, e a invocação de Nossa Senhora da Azinheira. Padre José Maria Moutinho

 

Segundo aquilo que nos foi dito por alguns populares da aldeia, aquando da sua partida para a frente de combate, deixou na aldeia a namorada. Tendo o mesmo prometido que logo que regressasse casaria com ela.

 

Com esta informação fomos à procura do livro de matrimónios da paróquia de Outeiro Seco. Para nossa admiração verificamos que a informação dada pelas, pessoas da aldeia encaixava que nem uma luva. Verdadeiramente o José foi homem de palavra, pois como podemos verificar no Assento nº 21:

Em 21 de Abril de 1919 na igreja paroquial de São Miguel de Outeiro Seco, contraiam matrimónio José Manuel Figueiras de 22 anos de idade, batizado e residente nesta freguesia filho legítimo de João Manuel Figueiras, e Ana da Cruz moradores nesta freguesia, ela Lucinda de Jesus, solteira de 28 anos de idade, batizada nesta freguesia e residente, filha de António Luiz e de Gertrudes Pereira. Foram testemunhas, José Gonçalves Chaves e Teresa de Jesus. Tendo este ato sido realizado pelo. Padre Elias António José Alves

 

Lá diz o ditado “ palavra dada, palavra honrada”, pois que o José chegava em Janeiro de 1919, e em Abril de 1919 casava.

 

_D704457a-Blogue.jpg

Engaços de madeira

 

A guerra passou, o José juntamente com a sua companheira dá início a uma vida nova, com algumas chagas da guerra, dedica-se à agricultura, cuidando de algumas courelas na aldeia.

 

O José vivia na última casa do Canto da Mochica, (nome dado ao Bairro nesse tempo), hoje chama-se Rua do Rosário.

 

Pelos vistos e dando fé às muitas informações, o José Figueiras foi sempre uma pessoa que gostou de ajudar os vizinhos nos trabalhos agrícolas e, que na altura das malhas do centeio, era um gosto vê-lo de engaço (ancinho) de madeira ao ombro, pois o seu trabalho nas malhas do centeio, era apenas o de fazer o palheiro da palha ou meda de palha. Segundo os habitantes de Outeiro Seco, o José Figueiras fazia aquele trabalho com mestria, deixava um palheiro que “nem uma piorra”, era de se lhe tirar o chapéu.

 

ProcissãoSraAzinheira2ac-Blogue.jpg

Foto da procissão da Sra. da Azinheira tendo em segundo plano palheiros, um deles encimado por uma cruz

 

O calendário marcava o dia 28 de Dezembro de 1960, pelas 10 horas da manhã, na sua casa o José Manuel Figueiras, com a idade de 63 anos, partia para Deus. Deixou 5 filhos, neste presente momento já todos falecidos, o José (mais conhecido pelo Zé da Eira), a Maria, a Teresa, o António, e por último o Adelino.

 

Assim terminou o percurso de mais um combatente da grande guerra de 1914/1918.

 

João Jacinto

Consulta:

Arquivo Distrital de Vila Real

Arquivo Militar

Blog Genealogia

 

Pesquisa e textos remetidos pelo Sr. João Jacinto.

Contributos2014.jpg

 

 

Publicado por Humberto Ferreira às 00:05

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 30 de Janeiro de 2018

Fotografia - Ao acaso

 

_D761472ac.jpg

 

 

Publicado por Humberto Ferreira às 00:05

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos (1)
Segunda-feira, 29 de Janeiro de 2018

Fotografia - Suas cabras!

 

_D755945ab.jpg

 

 

Publicado por Humberto Ferreira às 00:05

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Domingo, 28 de Janeiro de 2018

Vamos até São Vicente da Chã - Montalegre (6 fotos)

 

_DSC0342ac

 

_DSC0346ac

 

_DSC0345ac

 

_DSC0359ac

 

_DSC0310ac

 

_DSC0315ac

 

 

Publicado por Humberto Ferreira às 00:05

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Sábado, 27 de Janeiro de 2018

Vamos até São Vicente da Chã - Montalegre (5 fotos)

 

_DSC0337ac

 

_DSC0338ac

 

_DSC0339ac

 

_DSC0340ac

 

_DSC0341ac

 

 

Publicado por Humberto Ferreira às 00:05

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 25 de Janeiro de 2018

"Museu dos Esgotos" - A atrair turistas desde 2007 - Outeiro Seco - Chaves

 

Há dias vimos como o "Museu das termas romanas" era notícia nacional, não só pelas avultadas verbas que já foram lá esbanjadas, mas também porque ninguém sabia que lá nasciam águas quentes.

 

Em relação ao "Museu dos esgotos" é semelhante. Embora os esgotos sejam lançados para as linhas de água que desaguam no Rio Tâmega pelo menos desde Outubro de 2007, à vista de todos, parece que ninguém sabe de nada.

 

Ficam o contador actualizado e as imagens mais recentes captadas dia 20012018:

Nº de dias de poluição (desde 20102007) = 3750 dias

Nº de dias de atraso da obra (desde Junho) = 238 dias

 

Para ver mais fotos de mais de 10 anos de poluição diária (desde 20 de Outubro de 2007) siga a ligação: http://outeiroseco-aqi.blogs.sapo.pt/tag/esgotos

 

Algumas mentiras do executivo da Junta de Freguesia de Outeiro Seco:

http://outeiroseco-aqi.blogs.sapo.pt/esgotos-em-vale-salgueiro-e-rio-tamega-848937

 

Algumas mentiras do executivo da CMChaves:

"É preciso denunciar. Denunciar é um dever de elementar cidadania" - cabeleira - Fonte: comentário do próprio no Facebook em 18 de Dezembro de 2013;

"Câmara Municipal diz que o problema resultou de avaria na mini-ETAR que já está a ser resolvido" -  cabeleira - Fonte: SIC - Primeiro Jornal de 15 de Novembro de 2015;

"No próximo ano (2016), seguramente, estará construí­do o emissário, e pronto, e o problema desapareceu de vez" - cabeleira - Fonte: Emissão do Portugal em Direto de 24 de Novembro de 2015;

"Sistema Intercetor do parque empresarial pronto em junho". Fonte: Notícia Diário Atual de 11 de Março de 2017;

 "Por Chaves", "não tem piada nenhuma estragar aquilo que é de todos" - cabeleira - Fonte: Notí­cia Diário Atual de 29 de Abril de 2017;

Etc...

 

_DSC3271.JPG

 

_DSC3272.JPG

 

_DSC3273.JPG

 

_DSC3274.JPG

 

_DSC3275.JPG

 

_DSC3276.JPG

 

 

Publicado por Humberto Ferreira às 09:00

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 24 de Janeiro de 2018

Contributos - João Jacinto - "Combatentes da Grande Guerra de 1914-1918 da aldeia de Outeiro Seco – Manuel dos Santos"

COMBATENTES DA GRANDE GUERRA DE 1914-1918 DA ALDEIA DE OUTEIRO SECO

 

Os militares de Outeiro Seco que estiveram na 1ª. Grande Guerra, de 1914-1918, têm sido votados um pouco ao esquecimento.

Agora que se comemora o centenário deste acontecimento, aproveito esta oportunidade para publicar aquilo que ao longo de alguns anos consegui amealhar, quer através de investigação, quer através de conversas com algumas pessoas da aldeia, muitas delas já falecidas.

Tive o cuidado de lhes pedir para me falarem sobre os combatentes de Outeiro Seco. Tarefa nada fácil, por várias razões que aqui não interessam especificar. Julgo ser necessário preservar a memória da participação dos nossos antepassados na 1ª. Guerra Mundial, mas não foi pera doce.

A indicação das atuais referências têm um valor meramente indicativo, pois nem sempre a indicação da localidade foi rigorosa, o que nos leva muitas das vezes, a uma identificação não correta e nos induz em erro. Também muitas das vezes verifiquei erros nos boletins do CEP, a falta de boletins ou eventuais perdas dos mesmos.

Consultar listagens, ou milhares de boletins em arquivos que nos leva muitas das vezes a não ser possível realizar o trabalho de forma célere, e tanto quanto possível rigoroso e correto.

Mas mesmo assim, com todos estes constrangimentos, vou tentar fazer o possível para levar esta informação ao conhecimento dos mais jovens e até, de muitos familiares dos combatentes ou seja, “tirá-los do anonimato” e assim, dar-lhes o lugar que merecem na história de Outeiro Seco.

Alguns passaram pela guerra nas ex-colónias, seguindo depois para os campos de batalha em França. Pelo menos um dos combatentes de Outeiro Seco, ficou nos cemitérios de França, outros regressaram com várias mazelas no corpo. Ainda me recordo quando era miúdo, ouvir aos mais idosos a seguinte frase, “vieram gaseados da guerra”. A vida dura das trincheiras, onde não era fácil numa terra desconhecida, onde o frio a lama, a chuva, a neve, os gases e as balas, eram os companheiros do dia a dia.

Sobre alguns combatentes pouco temos a dizer, pois a sua ficha do CEP não foi encontrada e não foi possível a sua consulta, mas mesmo assim, vamos tentar fazer uma resenha de cada combatente. Muitas das vezes sentimos vontade de não realizar este trabalho, devido à falta de material e estivemos em vias de abandonar, face a tanta dificuldade. Mas de um momento para o outro, algo nos animou e hoje sinto-me feliz pela investigação realizada e em trazer aos outeiro secanos, uma parte da história dos nossos combatentes, os nossos heróis da batalha do 9 de Abril de 1918, “La Lys”.

 

_D804592.JPG

  

Iniciamos este trabalho com o soldado: MANUEL DOS SANTOS

Relativamente a este combatente, tivemos grandes dificuldades na investigação, não foi possível a consulta da sua ficha, encontramos alguns combatentes com o mesmo nome e apelido. Consultamos as respetivas fichas, uma levou-nos até Tronco, outra até ao Couto de Ervededo, tudo errado, pois a indicação que tínhamos era que ele era soldado do Regimento de Infantaria 19. Procuramos em várias listagens e detetamos um Manuel dos Santos, de Chaves, mas incorporado pelo Regimento de Infantaria 30, mas para nosso azar não foi possível o acesso a essa ficha do CEP. Ficamos na dúvida, será ele? Não será? Mesmo assim continuamos a nossa pesquisa referente ao Manuel dos Santos.

Sabemos que ele foi mobilizado para a guerra e que partiu em 23 de Maio de 1917 para Brest e dali, para a frente de combate, onde lutou como um bravo transmontano, só regressando à sua terra em 1919. Por informação recolhida no livro Retrato Social de Outeiro Seco, da autoria do seu neto Nuno Santos, ficamos a saber que ele foi prisioneiro dos Alemães. Seguimos esta pista através de várias listagens de prisioneiros mas nada de nada se descobriu. Também através do mesmo livro o seu neto diz-nos que ele foi criado de João Júlio Alves.

 

digitalizar0002-Blogue.jpg

Digitalização da capa do livro de Nuno Santos

  

Feitas as contas respetivas, fomos à procura da sua origem. Detetamos o seu registo de batismo, e que nos diz o seguinte:

ASSENTO Nº.181

Que no dia cinco do mês de Setembro do ano de mil oitocentos e noventa e cinco na freguesia de Santa Maria Maior, da vila de Chaves, que foi batizado solenemente um indivíduo do sexo masculino, a quem dei o nome de Manuel, que nascera pelas nove horas da manhã do dia seis de Agosto, e era filho natural de Ana Eusébia, solteira, nascida e batizada na freguesia de Vreia de Bornes, concelho de Vila Pouca de Aguiar, e residente atualmente no Bairro das Caldas. Era neto materno de Casimiro Pinto e Maria Joaquina, e da parte paterna avós incógnitos. Foram seus padrinhos Francisco José e sua mulher Emília da Conceição, ambos residentes em Vidago.

 

_D756711ac-Blogue.jpg

 

Baseados nesta informação fomos ao seu registo de casamento no ano de 1920, que diz o seguinte:

No dia 11 de Novembro na igreja matriz de São Miguel de Outeiro Seco, com 25 anos de idade Manuel dos Santos, contraia matrimonio com Maria Joaquina Teixeira (há registos com Ferreira), de 20 anos de idade natural de Outeiro Seco, filha legítima de Augusto José e de Mafalda Teixeira. Foram testemunhas João Júlio Alves, e Beatriz Ferreira. Este tão nobre ato foi celebrado pelo: Padre Elias António José Alves.

Deste enlace acabariam por dar vida aos seguintes rebentos: Ana (falecida), Beatriz (falecida), Augusto (falecido). António (falecido), José (ainda vivo), Alfredo (ainda vivo), Silvestre (falecido).

Habitava na sua casa junto da ponte da Ribeira da Torre na entrada sul do Bairro do Penedo, mas como as mazelas da guerra não dão tréguas, com a idade de 60 anos, falecia a 9 de Novembro de 1955, na sua casa do Penedo. Assim finalizava o percurso na sua terra adotiva, este herói da grande guerra.

 

João Jacinto

 

Consulta:

Arquivo Distrital

Arquivo do Exército

Vários blogs de genealogia

Informações orais

Livro de Nuno Santos, Retrato Social de Outeiro Seco no Século XX

Livro de Manuel H. Lourinho, Prisioneiros Portugueses na Alemanha

 

Pesquisa e texto remetidos pelo Sr. João Jacinto

Contributos2014.jpg

Nota: Este é o contributo nº 50 do Sr. João Jacinto a este blogue.

 

Publicado por Humberto Ferreira às 00:05

Link do post | Comentar | Ver comentários (1) | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 23 de Janeiro de 2018

Fotografia - Ao acaso

 

_DSC6766c.jpg

 

 

Publicado por Humberto Ferreira às 00:05

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 22 de Janeiro de 2018

Fotografia - Suas cabras!

 

_DSC8681a.jpg

 

 

Publicado por Humberto Ferreira às 00:05

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Domingo, 21 de Janeiro de 2018

Vamos até Viade de Baixo - Montalegre (6 fotos)

 

_DSC0150ac

 

_DSC0151ac

 

_DSC0152ac

 

_DSC0149ac

 

_DSC0144ac

 

_DSC0141ac

 

 

Publicado por Humberto Ferreira às 00:05

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Sábado, 20 de Janeiro de 2018

Vamos até ao São Sebastião - Vila Grande, Vilarinho Seco e Alturas do Barroso - Boticas

 

Capas-2-SEP-Blogue.jpg

 

Comida-SEP-Blogue.jpg

 

D75_1926a.jpg

 

D75_1970.JPG

 

Interiores-SEP-Blogue.jpg

 

Intervenientes-SEP-Blogue.jpg

 

SãoSebastião-SEP-Blogue.jpg

 

 

Publicado por Humberto Ferreira às 00:05

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 17 de Janeiro de 2018

Nosso Senhor dos Desamparados

 

BER_7205ab_SEP Selenio.jpg

 

 

Publicado por Humberto Ferreira às 00:05

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 16 de Janeiro de 2018

Fotografia - Ao acaso

 

_DSC6807ac.jpg

 

 

Publicado por Humberto Ferreira às 00:05

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 15 de Janeiro de 2018

Fotografia - Suas cabras!

 

_DSC8677ac.jpg

 

 

Publicado por Humberto Ferreira às 00:05

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Domingo, 14 de Janeiro de 2018

Vamos até ao São Sebastião - Vila Grande, Vilarinho Seco e Alturas do Barroso - Boticas

 

_D802668a-Blogue.jpg

 

_D802778-007.jpg

 

_D804857ab.jpg

 

_D804863.JPG

 

D75_1482a-Blogue.jpg

 

D75_1493a-Blogue.jpg

 

D75_1503ab-Blogue.jpg

 

D75_1514a-Blogue.jpg

 

D75_1517a-Blogue.jpg

 

D75_1529ab-Blogue.jpg

 

D75_1649a-Blogue.jpg

 

D75_1684-Blogue.jpg

 

 

Publicado por Humberto Ferreira às 00:05

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Sábado, 13 de Janeiro de 2018

Vamos até ao São Sebastião - Vila Grande, Vilarinho Seco e Alturas do Barroso - Boticas

 

_D701256-007-Blogue.jpg

 

_D802384ab.jpg

 

_D802389abc.jpg

 

_D802395abc.jpg

 

_D802482a.jpg

 

_D802488a.jpg

 

_D802529a.jpg

 

_D802533.JPG

 

_D802585a.jpg

 

_D802593a.jpg

 

 

Publicado por Humberto Ferreira às 00:05

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 11 de Janeiro de 2018

Câmara Municipal de Chaves continua a poluir e a mentir - Esgotos e lixo nas linhas de água em Vale Salgueiro e Rio Tâmega - Outeiro Seco - Chaves - Portugal

 

Por incrível que pareça tudo continua igual. Os esgotos continuam a ser lançados sem tratamento para as linhas de água que desaguam no Rio Tâmega. Por muito ou pouco que chova, não há água que consiga arrastar nem diluir tanta porcaria acumulada.

 

Para além disso, a obra que prometeram publicamente realizar em 2016 ("para o problema desaparecer de vez") e que mais tarde voltaram a prometer publicamente concluir em Junho de 2017 continua por acabar e o resultado está à vista de todos. As sucessivas imagens ao longo dos anos não deixam margens para dúvidas.

 

O lixo continua por recolher e o papel das Juntas de Freguesia, para além das mentiras, continua a ser o de sempre. Que também está à vista de todos...

 

Em relação às Juntas de Freguesia, não me refiro apenas às de Outeiro Seco, que já sabemos que estão treinadas em mentir ao Ministério Público, mas a todas as que são "banhadas" pelo Rio Tâmega e que deveriam sentir-se afectadas, principalmente às Juntas de Freguesia de Santa Maria Maior e Madalena, que também elas recebem periodicamente as queixas e imagens nos seus endereços de correio electrónico oficiais, mas que curiosamente também nunca se deram ao trabalho de responder.

 

O ambiente, ainda é, um património que nos pertence, nos envolve e nos afecta a todos. A sucessiva e reiterada falta de respeito que as entidades públicas responsáveis têm demonstrado pelo ambiente e pelas populações, de uma forma geral, e pelos proprietários de terrenos directamente afectados, em particular, tem sido e é de facto incompreensível.

 

A contaminação dos terrenos e sobretudo da água, um bem tão escasso nos nossos dias, é inevitável e inegável. Ao fim de mais de 10 anos de poluição constante, reiterada e indiscriminada, a questão é saber quantos anos mais os terrenos e a água continuarão contaminados quando um dia esta situação ficar resolvida, isto bem entendido, se algum dia quiserem resolvê-la. A verdade é que ninguém sabe, porque também ninguém sabe o que têm despejado e continuam a despejar para lá.

 

É uma situação clara de sucessivos abusos de poder por parte das entidades responsáveis e de retrocesso da sociedade supostamente tão avançada em que vivemos. Poluem, pura e simplesmente, porque ninguém os impede de o fazer e porque, ainda que fossem multadas, essas multas seriam pagas por todos nós. Enquanto não houver responsabilização das pessoas que representam essas entidades pelos maus actos de gestão que cometem deliberadamente e com conhecimento de causa, prejudicando intencionalmente terceiros, estas situações nunca se resolverão. Enquanto não tiverem de suportar do próprio bolso os custos relacionados com multas, advogados e processos em Tribunal (e outras "ajudas" inerentes a esses processos), nunca sentirão a necessidade de resolver seja aquilo que for. Vulgariza-se a ideia de que para esses "senhores", envolvidos na política, tudo vale e de que o crime compensa. Infelizmente é assim e assim continuará porque as coisas não estão encaminhadas para melhorarem, muito pelo contrário.

 

Por muitas queixas e evidências que se apresentem, não se entende a razão de uma situação destas, que nos envergonha a todos, se arrastar comprovadamente há mais de 10 anos sem que absolutamente nada seja feito, nem ninguém seja responsabilizado. Quando digo que esta situação nos envergonha a todos, julgo que é evidente e se compreende que os responsáveis por esta situação se auto-excluem. Vá-se lá saber porquê, mas parece que todos eles se sentem bem com este cenário degradadante que teimam em perpetuar para a actual população do concelho de Chaves e para as gerações vindouras.

 

Depois ainda querem que "Chaves" seja conhecida e reconhecida pelas suas "águas" e respectivas "rotas"... Quais "águas"?

 

Ficam o contador actualizado e as imagens mais recentes captadas dia 07012018:

Nº de dias de poluição (desde 20102007) = 3736 dias

Nº de dias de atraso da obra (desde Junho) = 224 dias

 

Para ver mais fotos de mais de 10 anos de poluição diária (desde 20 de Outubro de 2007) siga a ligação: http://outeiroseco-aqi.blogs.sapo.pt/tag/esgotos

 

Algumas mentiras do executivo da Junta de Freguesia de Outeiro Seco:

http://outeiroseco-aqi.blogs.sapo.pt/esgotos-em-vale-salgueiro-e-rio-tamega-848937

 

Algumas mentiras do executivo da CMChaves:

"É preciso denunciar. Denunciar é um dever de elementar cidadania" - cabeleira - Fonte: comentário do próprio no Facebook em 18 de Dezembro de 2013;

"Câmara Municipal diz que o problema resultou de avaria na mini-ETAR que já está a ser resolvido" -  cabeleira - Fonte: SIC - Primeiro Jornal de 15 de Novembro de 2015;

"No próximo ano (2016), seguramente, estará construí­do o emissário, e pronto, e o problema desapareceu de vez" - cabeleira - Fonte: Emissão do Portugal em Direto de 24 de Novembro de 2015;

"Sistema Intercetor do parque empresarial pronto em junho". Fonte: Notícia Diário Atual de 11 de Março de 2017;

 "Por Chaves", "não tem piada nenhuma estragar aquilo que é de todos" - cabeleira - Fonte: Notí­cia Diário Atual de 29 de Abril de 2017;

Etc...

 

_0DSC2965.JPG

 

_DSC2957.JPG

 

_DSC2958.JPG

 

_DSC2959.JPG

 

_DSC2960.JPG

 

_DSC2962.JPG

 

_DSC2963.JPG

 

 

Publicado por Humberto Ferreira às 00:05

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 10 de Janeiro de 2018

Capela de Nossa Senhora da Portela

 

BER_0924ab_SEP Selenio.jpg

 

 

Publicado por Humberto Ferreira às 00:05

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 9 de Janeiro de 2018

Fotografia - Ao acaso

 

BER_4602a.jpg

 

 

Publicado por Humberto Ferreira às 00:05

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 8 de Janeiro de 2018

Fotografia - Suas cabras!

 

_D755945ab.jpg

 

 

Publicado por Humberto Ferreira às 00:05

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Humberto Ferreira . Berto Alferes

Pesquisar neste blog

 

Agosto 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
17
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

Dia Mundial da Fotografia...

Vamos até Negrões - Monta...

Poluição em Outeiro Seco ...

Tanque

Natureza

Fotografia - Ao acaso

Vamos até Negrões - Monta...

Vamos até São Pedro - Mon...

Poluição em Outeiro Seco ...

Nosso Senhor dos Passos

Natureza

Fotografia - Ao acaso

Vamos até Meixedo - Monta...

Vamos até Meixedo - Monta...

Poluição em Outeiro Seco ...

Igreja de Nossa Senhora d...

Natureza

Fotografia - Ao acaso

Vamos até Lama da Missa -...

Vamos até Lama da Missa -...

O que está a acontecer às...

Poluição em Outeiro Seco ...

Capela de Nossa Senhora d...

Natureza

Fotografia - Ao acaso

Vamos até Telhado - Monta...

Vamos até Telhado - Monta...

Poluição em Outeiro Seco ...

Solar dos Montalvões

Natureza

Arquivos

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

tags

acisat

agricultura

aldeias

ama

ambiente

amnistia internacional chaves

ana maria borges

antigamente

ao acaso

aqi

arte digital

auto da paixão

berto alferes

boticas

camera colector

camera collector

casa de cultura

chaves

cogumelos

coleccionismo

comboios

contributos

desporto

dinis ponteira

diogo rolim

direitos humanos

esgotos

exposições

família

fátima

fauna

faustino

feira do gado

feira dos santos

fernando ribeiro

festa do reco

flora

fotografia

fotografia antiga

galiza

humberto ferreira

incêndio

isaac dias

j.b.césar

joão jacinto

joão madureira

josé arantes

lama da missa

lamartinedias

laura freire

legislação

lixo

luís montalvão

lumbudus

máquinas fotográficas antigas

marco costa

meixedo

miguel ferrador

montalegre

natureza

negrões

notícias

old cameras

olhares

orçamento participativo

orçamento participativo 2015

outeiro seco

pablo serrano

património

pedro afonso

pitões das júnias

políticos

rapa das bestas

recortes

regina celia gonçalves

religião

restaurante albufeira

rita gonçalves

romeiro de alcácer

santarém

são pedro

são sebastião

segirei

sr. luís fernandes

sr.joãojacinto

suas cabras

tempestade

tiago ferreira

tradições

tupamaro

vamos até

verin

vidago

vintage cameras

vítor afonso

todas as tags

Favoritos

Outeiro Seco - Chaves - P...

Ocasionais

Blogues Amigos




Creative Commons License

AVISO:
A cópia ou utilização das fotografias e textos aqui publicados são expressamente proibidas, independentemente do fim a que se destinam.
Berto Alferes

Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License

Lumbudus

Tradições

Património

Coleccionismo

Fauna

Flora

Aviso




Creative Commons License

AVISO:
A cópia ou utilização das fotografias e textos aqui publicados são expressamente proibidas, independentemente do fim a que se destinam.
Berto Alferes

Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Visitas:

subscrever feeds