Outeiro Seco - AQI...

Tempo Outeiro Seco
Quarta-feira, 17 de Abril de 2013

Contributos - Sr. João Jacinto - "Uma Polémica"

 

 

 

UMA POLÉMICA

 

Já se escreveu bastante sobre a representação do Ramo, e do Auto da Paixão de Cristo, o conhecido Acto, realizados noutros tempos na aldeia de Outeiro Seco.

 

Segundo aquilo que se escreveu, e aquilo que as pessoas mais idosas nos dizem, é que o Ramo teria sido representado na aldeia nos anos de 1923, 1932, 1957 e mais recente na década de 90.

 

 

Quanto ao Acto foi representado nos anos 40 e 60. Pelos vistos esses Cascos, encontram-se em poder de algumas pessoas da aldeia.

 

Na minha modesta biblioteca, existem alguns exemplares desses ditos cascos, inclusive um original do Auto da Paixão do Padre Francisco Vaz de Guimarães, que data do ano de 1820.

 

 

Mas não será disto que aqui vamos tratar, porque até não tem influência nenhuma, mais casco ou menos casco. O problema é outro, é a polémica que se gera em volta da representação do Ramo, entre o Administrador do Concelho, Manuel Augusto Granjo, e os habitantes da Aldeia, com o padre e o regedor pelo meio.

 

 

Decorria o ano de 1889, as gentes de Outeiro Seco, havia já vários meses que decorriam a bom ritmo os ensaios para levar a cena o Ramo, no dia 24 de Dezembro (noite), junto à Capela da Senhora do Rosário.

 

Não sabemos quais os motivos ou quem alertou o Administrador, da realização deste evento. O pouco que sabemos é que o Padre da Paróquia recebe uma carta do Administrador do Concelho, em 10 de Dezembro, onde lhe solicita informação, sobre o acto a levar a efeito na noite de 24. Mas não é só o Padre da Paróquia, também o Regedor, autoridade máxima da Paróquia.

 

 

A este o Administrador, envia-lhe a seguinte carta:

 

Para Regedor da Paroquia de Outeiro Seco

"Constando-me que essa povoação se projecta levar a effeito no dia 24 do corrente à noite um acto quaisquer".

 

Nesta mesma carta, ameaça a população com o envio de uma força de Cavalaria, caso a sua ordem não seja acatada. Mas o povo não desarma e pressiona o Regedor. Então a resposta do Regedor, é esta:

 

"Não se faz na igreja, mas em casa particular, pelo que não estará em causa a ordem moral e pública".

 

 

 

E assim Outeiro Seco pode levar à cena o Ramo, pois estas representações tinham sido proibidas dentro das igrejas e nos seus adros.

 

Como podem ver os outeiro-secanos, já nesta altura a Aldeia representava o Ramo, em condições bem mais adversas.

 

João Jacinto

 

 

Nota: Quero expressar o meu agradecimento à amiga que me ajudou com as fotografias para este post do Sr. João Jacinto. Muito obrigado. Berto

 

Publicado por Humberto Ferreira às 00:05

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
2 comentários:
De Nuno Santos a 17 de Abril de 2013 às 14:32
Parabéns mais uma vez ao João Jacinto, assim como as fotos que apresentam optima qualidade, talvez com algum trabalho de fotoshop. Gostei também dos figurinos. Pela paisagem que uma das imagens deixa transparecer, parece-me que esta encenação terá ocorrido em Vilela do Tâmega.
Cumprimentos,
Nuno Santos
De Humberto Ferreira a 17 de Abril de 2013 às 16:22
Olá Nuno,
Obrigado pelo comentário.
Em relação às fotografias, apenas foram digitalizadas. O Photoshop foi utilizado para colocar a marca-de-água, o logotipo e a assinatura.
Quanto ao local, julgo que se trata do antigo toural, onde agora está o Centro de Saúde Nº 1.
Os muros são semelhantes, na 4ª foto é possível ver ao fundo do lado direito a cadeia e na 5ª foto, pode ver-se também o que penso serem as muralhas do Forte de São Neutel.
Um abraço,
Berto

Comentar post

Humberto Ferreira . Berto Alferes

Pesquisar neste blog

 

Outubro 2021

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

Vídeo: Feira dos Santos d...

Vídeo: Festa de São Migue...

Outeiro Seco - Resultados...

14 anos de Valorização da...

Vídeo: Festa de Nossa da ...

Centenário da chegada do ...

Centenário da chegada do ...

Centenário da chegada do ...

Centenário da chegada do ...

Centenário da chegada do ...

Centenário da chegada do ...

Centenário da chegada do ...

Centenário da chegada do ...

Centenário da chegada do ...

Dia Mundial da Fotografia...

Centenário da chegada do ...

Centenário da chegada do ...

Centenário da chegada do ...

Centenário da chegada do ...

Centenário da chegada do ...

Centenário da chegada do ...

Centenário da chegada do ...

Centenário da chegada do ...

Centenário da chegada do ...

Centenário da chegada do ...

Centenário da chegada do ...

Centenário da chegada do ...

Centenário da chegada do ...

Centenário da chegada do ...

Centenário da chegada do ...

Arquivos

Outubro 2021

Setembro 2021

Agosto 2021

Julho 2021

Junho 2021

Maio 2021

Abril 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Setembro 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

tags

agricultura

águas de chaves

águas frias

aldeias

alturas do barroso

ama

ambiente

amial

amiar

antigamente

ao acaso

aqi

aquanatur

aquavalor

arte digital

auto da paixão

barroso

berto alferes

boticas

camera collector

casa de cultura

castelo de monforte de rio livre

cerdeira

chaves

chaves em festa

chegada do comboio a chaves

cidade de chaves

cogumelos

coleccionismo

comboios

contributos

desporto

dinis ponteira

esgotos

estrada nacional 2

exposições

fauna

faustino

feira do gado

feira dos santos

fernando ribeiro

festa comunitária

festa do reco

flora

fotografia

fotografia antiga

friães

galiza

humberto ferreira

j.b.césar

joão jacinto

joão madureira

lamartinedias

laura freire

legislação

lixo

lumbudus

máquinas fotográficas antigas

montalegre

museu de fotografia

n2

natureza

notícias

o poema infinito

old cameras

olhares

orçamento participativo

orçamento participativo 2015

outeiro seco

património

políticos

poluição

poluição em chaves

portugal

rapa das bestas

recortes

religião

rio tâmega

romeiro de alcácer

rota termal e da água

santarém

são sebastião

sarraquinhos

seara

sr. luís fernandes

sr.joãojacinto

suas cabras

telhado

termas de chaves

tiago ferreira

tradições

trás-os-montes

vamos até

verin

viagens no tempo

vidago

vidago palace hotel

vintage cameras

visit chaves

vítor afonso

todas as tags

Blogues Amigos




Creative Commons License

AVISO:
A cópia ou utilização das fotografias e textos aqui publicados são expressamente proibidas, independentemente do fim a que se destinam.
Berto Alferes

Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License

Lumbudus

Tradições

Património

Coleccionismo

Fauna

Flora

Aviso




Creative Commons License

AVISO:
A cópia ou utilização das fotografias e textos aqui publicados são expressamente proibidas, independentemente do fim a que se destinam.
Berto Alferes

Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

subscrever feeds