Outeiro Seco - AQI...

Tempo Outeiro Seco
Quinta-feira, 19 de Setembro de 2013

Contributos - Sr. Luís Fernandes - "PARTIDOS POLÍTICOS"

 

“PARTIDOS POLÍTICOS”

 

 

reflexão

 

 

Todos os povos (pessoas) gostam de sonhar.

 

Porém, também chega um momento em que já não querem que se lhes contem mais histórias e começam a exigir factos, resultados e testemunhos.

 

Em Portugal, a mudança de regime, da Ditadura (salazarenta) para uma Democracia (enfezada), está a passar, como que por brasas, do pluripartidismo multicolorido ao bipartidismo de tom bege (tom de carame(erda)lo langonha), ou cinzento, ou, mais (des)acertadamente, alaranjado , onde o tom de cor-de-laranja se parece com o de cor-de-rosa pálido e o cor-de-rosa «foge» para o cor-de-laranja-vivo, a disfarçar um partidismo único, em que o poder do Governo e o da Oposição se compensam e equivalem por trás da cortina

 

O declínio moral e social dos Partidos parece querer dizer-nos que estão de regresso às suas características embrionárias: puras facções em luta pelo poder, sem qualquer preocupação como bem comum.

 

Os principais Partidos políticos estão muito mais preocupados e empenhados no fortalecimento do seu vínculo com o Estado do que com a Sociedade Civil!

 

Os Partidos políticos fazem mais o papel de Mediadores (aliás, muito fracos) entre esta e aquele, entre a Sociedade Civil e o Estado, do que o papel de representantes.

 

Por este andar, pouco falta para que seja o Estado a ser o intermediário entre os Partidos e os Cidadãos!

 

Os Partidos não podem (não devem), quanto a nós, esquecer os seus fins originários. Aqui, neles, está uma insubstituível legitimidade.

 

Cartoon de Pawla Kuczynskiego – Cartunista polaca

 

Nem o PS nem o PSD actuais, para referir «os de sempre» nas cadeiras da Governação, têm manifestado clareza e franqueza na expressão da ideologia em que foram criados.

 

As acções políticas de cada um deles pouco ou nada se têm parecido com os seus princípios fundadores.

 

E em todos os Partidos, talvez por efeito de contágio, e de “transmigrações infecciosas”, se nota uma crescente (e lamentável) perda daquele élan com que se apresentaram aos Portugueses na aurora de um 25 A colorido com tantas esperanças - o seu contributo para uma Democracia consolidada e garantia da soberania nacional.

 

Há que lembra-lhes a importância que lhes cabe na expressão da vida democrática da Nação.

 

Não podem, não devem, conformar-se aos grupos (ou grupinhos) de interesses nucleares - os interesses nacionais merecem-lhes e exigem-lhes a primazia em relação aos interesses particulares legítimos.

 

Estes Partidos, PS e PSD, cada vez mais se afastam da sua responsabilidade democrática.

 

Transformaram-se em “Partidos de Barões”!

 

Ou de «Garotões”!!!

 

Instalaram-se e consolidaram-se com a adesão de fortes grupos de interesses egoístas e a ingenuidade de um Povo que se contenta com a festa das Eleições e o foguetório do voto!

 

É mais que notório que, no catecismo das obrigações partidárias, a observância das regras hierárquicas é o seu mandamento primeiro.

 

O PSD e o PS estão a deixar de ser verdadeiros Partidos para serem apenas umas Organizações.

 

 

Ambos estão a deixar de ser um meio para se obter um fim, transformando-se eles próprios num fim, com metas e interesses próprios, distinguindo-se do conjunto de cidadãos que, afinal, representam.

 

E quem diz Organização diz Oligarquia. A Organização é a que dá origem ao domínio dos elegidos sobre os eleitores, dos mandatários sobre os mandantes, dos delegados sobre os delegantes”, ensina Michels.

 

Os Partidos, quanto à sua Direcção têm uma aparência democrática, porém, na realidade, oligárquica.

 

Os Partidos, quanto a nós deveriam representar os Votantes e não só os membros!

 

E a representatividade é perfeitamente concebível sem Partidos - veja-se, p. ex., o MAI – com Chaves no coração

 

Estes Partidos políticos, retrógrados e estáticos, conduzem os destinos do País para o abismo - ou para o «Tera do Nunca»!

 

Estes Partidos políticos mandaram às malvas a sua responsabilidade e o seu compromisso pelo interesse colectivo.

 

Há que lembra-lhes, e muito especialmente às alimárias que formam o Governo actual e ao farsola que tão afincadamente o agasalha, que a Democracia é a forma e o meio para a Liberdade e a Igualdade!

 

Há que lembra-lhes a ética e o compromisso da Responsabilidade!

 

Luís Henrique Fernandes

 

 

Publicado por Humberto Ferreira às 00:05

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Humberto Ferreira . Berto Alferes

Pesquisar neste blog

 

Fevereiro 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29

Posts recentes

Castelo de Monforte de Ri...

Águas Frias

Igreja de Nossa Senhora d...

Boas notícias: CMChaves n...

Geada

Geada

Geada

Bolideira

Pedra da Bolideira

Igreja de Nossa Senhora d...

Terceiro Passo (Via Sacra...

Igreja de São Miguel (Mat...

Capela de Santana (Santa ...

Castelo de Monforte de Ri...

Castelo de Monforte de Ri...

Igreja de Nossa Senhora d...

Tanque

Solar dos Montalvões

Hoje, São Sebastião em Vi...

Dia 20, vamos até ao São ...

Dia 20, vamos até ao São ...

Igreja de São Miguel (Mat...

Igreja de Nossa Senhora d...

Nosso Senhor dos Desampar...

Azeitona

Castelo de Monforte de Ri...

Castelo de Monforte de Ri...

Ex-escolas primárias

Romã

Igreja de Nossa Senhora d...

Arquivos

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

tags

agricultura

águas de chaves

águas frias

aldeias

alturas do barroso

ama

ambiente

amial

amiar

amnistia internacional chaves

ana maria borges

antigamente

antónio souza e silva

ao acaso

aqi

aquanatur

aquavalor

arte digital

auto da paixão

barroso

berto alferes

boticas

camera collector

casa de cultura

cerdeira

chaves

chaves em festa

cidade de chaves

cogumelos

coleccionismo

comboios

contributos

desporto

dinis ponteira

esgotos

estrada nacional 2

exposições

fauna

faustino

feira do gado

feira dos santos

fernando ribeiro

festa comunitária

festa do reco

flora

fotografia

fotografia antiga

friães

galiza

humberto ferreira

j.b.césar

joão jacinto

joão madureira

lamartinedias

laura freire

legislação

lixo

lumbudus

máquinas fotográficas antigas

montalegre

museu de fotografia

n2

natureza

notícias

o poema infinito

old cameras

olhares

orçamento participativo

orçamento participativo 2015

outeiro seco

património

políticos

poluição

poluição em chaves

portugal

rapa das bestas

recortes

religião

rio tâmega

romeiro de alcácer

rota termal e da água

santarém

são sebastião

sarraquinhos

seara

sr. luís fernandes

sr.joãojacinto

suas cabras

telhado

termas de chaves

tiago ferreira

tradições

trás-os-montes

vamos até

verin

vidago

vidago palace hotel

vintage cameras

visit chaves

vítor afonso

todas as tags

Blogues Amigos




Creative Commons License

AVISO:
A cópia ou utilização das fotografias e textos aqui publicados são expressamente proibidas, independentemente do fim a que se destinam.
Berto Alferes

Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License

Lumbudus

Tradições

Património

Coleccionismo

Fauna

Flora

Aviso




Creative Commons License

AVISO:
A cópia ou utilização das fotografias e textos aqui publicados são expressamente proibidas, independentemente do fim a que se destinam.
Berto Alferes

Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

subscrever feeds